Prefeito de Serrita tenta apagar a história; população vive clima de revolta

Aleudo Benedito prefeito da ‘Capital do Vaqueiro’ tenta a todo custo entrar para a história do município sertanejo, sua mais nova tentativa é de mudar o nome da tradicional Missa do Vaqueiro com argumentações financeiras. No projeto enviado à Câmara de Vereadores que será votado hoje, terça-feira (25), o gestor municipal trata a Missa do Vaqueiro como “Festa de Jacó”.

A Câmara de Vereadores tem sessão marcada para às 10h da manhã, o parlamento é dividido entre seus ocupantes com 5 da oposição e 5 da situação enquanto o presidente se diz independente. A expectativa é de que haja empate na votação, com o presidente tendo o voto decisivo e que possa votar a favor do governo.

Independentemente da votação de daqui a pouco, o clima já é de revolta da cidade de Serrita. Segundo moradores, o prefeito Aleudo Benedito está tentando acabar com a tradicional Missa do Vaqueiro, usando argumentações sem fundamentos para levar adiante sua briga pessoal com Helena Câncio. “O prefeito está sendo irresponsável, a história de Serrita não pode ser rasgada”, disse um morador da cidade.

Luiz Gonzaga e Padre João Câncio, se uniram em busca justiça. Foi dado inicio a festa das Lajes em 1970, como um grito que ecoou do meio da caatinga. Tudo para chamar a atenção das autoridades da época por conta de um crime bárbaro, ocorrido na localidade [Sitio Lajes] e tendo como vítima o famoso vaqueiro Raimundo Jacó.

Se Luiz Gonzaga e Padre João Câncio lutaram a vida toda para tornar a Missa do Vaqueiro conhecida nacionalmente, o prefeito Aleudo Benedito tenta em apenas 4 anos destruir a história de Serrita. O futuro de Serrita está nas mãos dos 11 vereadores, na sessão de hoje eles vão aprovar a morte da Missa do Vaqueiro ou manter viva a memória de Raimundo Jacó.

Verifique também

ASSERPE esclarece veículos sobre legislação eleitoral e radiodifusão

A ASSERPE, em parceria com a ABERT e o Instituto Ação promovem nesta quinta-feira, dia …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *