Dia de Campo destaca os avanços na produção de goiaba com o uso do porta-enxerto BRS Guaraçá

O manejo da goiabeira foi o tema central de um Dia de Campo realizado pela Embrapa Semiárido, como parte das iniciativas do projeto “Desenvolvimento para Estudantes e Produtores Agropecuários dos Lagos do São Francisco”. O evento teve como objetivo apresentar os avanços na pesquisa da cultura da goiabeira, destacando o porta-enxerto BRS Guaraçá, uma tecnologia pioneira da Embrapa para o controle do nematoide-das-galhas.

Realizado por meio de um convênio com recursos da Eletrobrás-Chesf e BNDES, com o apoio da Companhia de Desenvolvimento Regional de Sergipe (Coderse), o Dia de Campo ocorreu em 4 de julho, em propriedade de produtor, no Projeto de Irrigação Califórnia (Canindé de São Francisco- SE). O evento atraiu 152 participantes, incluindo produtores, técnicos, estudantes e autoridades locais.

Durante o encontro, foram abordados temas como manejo cultural e hídrico da goiabeira, fertirrigação, controle de doenças e pragas, culminando com uma visita à área de plantio. Os participantes puderam observar os resultados práticos do uso do BRS Guaraçá na propriedade de Walmir Matos, que expressou sua satisfação com a resistência do material. “Os resultados foram excelentes. Na primeira safra com 200 plantas, colhi 160 caixas de frutas de ótima qualidade. Só tenho a agradecer por fazer parte deste projeto e conhecer essa tecnologia”.

O evento contou com a presença de representantes da Embrapa, da Eletrobrás-Chesf,  de autoridades da Coderse e das secretarias de agricultura estaduais e municipais de Alagoas e Sergipe. Anderson Oliveira, Chefe Adjunto de Pesquisa da Embrapa Semiárido, destacou a importância do projeto para o desenvolvimento regional, enfatizando o papel crucial dos produtores como disseminadores das tecnologias da Embrapa.

Para o pesquisador Rebert Coelho Correia, coordenador do Projeto ‘Lagos do São Francisco’, eventos como o Dia de Campo ajudam a difundir as pesquisas da Embrapa junto a um público mais amplo. “Trouxemos o BRS Guaraçá, um material resistente ao nematoide, que tem ajudado a contornar  o abandono de áreas de goiabeira em Sergipe e Alagoas. É satisfatório saber que os produtores estão melhorando seus sistemas de produção com os conhecimentos trazidos pelo projeto “, afirmou Rebert.

Por fim, Levy Alves Ribeiro, presidente da Cooperativa de Fomento Rural e Comercialização do Perímetro Irrigado Califórnia (Coofrucal), compartilhou sua experiência positiva. Hoje, após a implantação da tecnologia da goiabeira enxertada no BRS Guaraçá, vemos as goiabeiras com excelente produção. Essa tecnologia está sendo um grande diferencial para o fortalecimento da agricultura familiar na região”, conclui.

BRS Guaraçá

A  Embrapa Semiárido lançou em 2020 o porta-enxerto BRS Guaraçá, primeira cultivar resistente ao nematoide-das-galhas (Meloidogyne enterolobii), principal patógeno da goiabeira no Brasil. A tecnologia já está disponível aos produtores, que podem adquirir as mudas por meio dos viveiristas credenciados pela Embrapa.

O porta-enxerto foi gerado após dez anos de pesquisas, que envolveram a seleção e a avaliação de centenas de genótipos de goiabeiras e araçazeiros (planta silvestre da mesma família das goiabeiras), coletados por todo o País, bem como o trabalho de cruzamento de plantas e melhoramento genético.

A cultivar BRS Guaraçá, híbrido resultante desse cruzamento, possui alta resistência ao nematoide-das-galhas e compatibilidade com grande parte das variedades comerciais de goiabeira, tais como a Paluma, Suprema, Pedro Sato, Rica, Século XXI e as do grupo Cortibel.

Lagos do São Francisco

O projeto “Desenvolvimento para Estudantes e Produtores Agropecuários dos Lagos do São Francisco – PE/SE/AL/BA” foi iniciado em 2019, e visa beneficiar comunidades em 12 municípios nos estados de Alagoas, Sergipe, Bahia e Pernambuco. A iniciativa engloba atividades direcionadas para a produção de mel, frutas, hortaliças, culturas alimentares, criação animal e preservação e recuperação de mata ciliar.

Estima-se que o projeto beneficie diretamente e indiretamente mais de quatro mil produtores da região, aumentando a produtividade dos agricultores e promovendo melhorias significativas na qualidade de vida. O projeto ‘Lagos do São Francisco’ é executado pela Embrapa Semiárido, por meio de convênio que conta com recursos financeiros da Eletrobras-Chesf e do BNDES.

Verifique também

ASSERPE esclarece veículos sobre legislação eleitoral e radiodifusão

A ASSERPE, em parceria com a ABERT e o Instituto Ação promovem nesta quinta-feira, dia …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *