Deputado republicano dos EUA manda carta a Moraes e pede resposta em até 10 dias

O deputado dos Estados Unidos Chris Smith enviou uma carta ao ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, na qual diz ter recebido “relatos alarmantes” de perseguição política, falta de liberdade de expressão e má conduta judicial no Brasil.

A correspondência também chegou aos gabinetes dos presidentes do STF, Luís Roberto Barroso; do Tribunal Superior Eleitoral, Cármen Lúcia; da Câmara, Arthur Lira (PP-AL); e do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG).

No documento, Smith – presidente do Subcomitê de Direitos Humanos da Comissão de Relações Exteriores da Casa dos Representantes – alega terem sido constatadas graves violações de direitos humanos por parte do governo brasileiro.

O congressista ainda fez sete questionamento a Moraes, principal alvo dos bolsonaristas, que o acusam de violações à liberdade de imprensa e à imunidade parlamentar, além de uma suposta invasão da jurisdição dos Estados Unidos. Smith disse esperar uma resposta do magistrado brasileiro em até dez dias.

Grande parte das alegações foi apresentada ao parlamentar em uma audiência em maio. O evento contou com a participação de expoentes da extrema-direita brasileira, a exemplo do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL-SP), do blogueiro Allan dos Santos e do ex-deputado Deltan Dallagnol.

“Depoimentos apresentados na audiência forneceram fatos e evidências e desenharam um quadro profundamente perturbador do estado da democracia e dos direitos humanos no Brasil”, diz um trecho da carta. “Você solicitou dados ou emitiu ordens contra empresas ou indivíduos que não estão sob sua jurisdição geográfica?”, questiona o republicano em um dos pontos.

Alexandre de Moraes ainda não se manifestou sobre o documento.

Fonte: Carta Capital

Verifique também

Fala Cabrobó: Primeiro evento de participação do pré-candidato a prefeito Doutor Lucas Novaes

Ontem, nossa comunidade teve a honra de participar do evento “Fala Cabrobó”, que contou com …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *